27 de jul de 2011

PENSAMENTO
 Sentado no meu carro estacionado, à espera que a minha mulher acabasse de fazer as compras, passei o tempo a observar os transeuntes. Reparei particularmente num homem que estava profundamente comprometido a falar com ele mesmo. O que ele dizia não sei, mas devia ser uma discussão séria. Recordou-me um homem que, quando lhe perguntaram porque é que estava sempre a falar consigo mesmo, respondeu, “Tenho duas razões: Primeiro, gosto de ouvir falar um homem inteligente. E depois, gosto de falar a um homem inteligente!”. Quando as pessoas falam consigo mesmas, o que é que elas dizem? Podem dizer bem ou mal, pois as nossas palavras revelam o que está no nosso coração. O rico em Lucas 12.16-21 falou orgulhosamente consigo mesmo acerca das suas riquezas, e Deus chamou-o de louco. O pródigo, em Lucas 15, falou consigo mesmo acerca da sua pobreza, e voltou ao pai. Quando falas contigo, estás simplesmente a pensar alto, revelando o que está no teu coração. Pode muito bem ser dito que nós somos o que pensamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário